quinta-feira, novembro 20, 2008

do oculto

Em silenciosa serenata, versa-me:
cantas de longe em ocultas significâncias.
O que há por trás do véu dedicado
que sobre tua cabeça repousa, ondulante?

Sopra-me pétalas pungentes
que perpassam minha alma como neutrinos.
Não os miro, mas furam-me, sinto!;
doce melodia de amor não-declarado!

16 comentários:

Pavitra disse...


o que nos lança
na linha do precipício:
o verso...

Pavitra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Igor Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pavitra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cosmunicando disse...

neutrinos perspassando... gostei muito!

Mariana disse...

"Não os miro, mas furam-me, sinto!;
doce melodia de amor não-declarado! "


lindo!

marina disse...

belissimo!

gbraga disse...

Igor,meu filho

vc está com muito recurso literário,fruto da sua nobre inspiração.Sua poesia desaguará inexroravelmente num mar de livro(s) ! bjs
GBraga
PS teamosempreemais

elcerdo disse...

cade as ilustraçoes ?

Felicidade Clandestina disse...

Que lindo ... descobrir seu blog e estou encantada.

Que ilustração bela *-*

Igor Machado disse...

Obrigado, Felicidade!

Postarei mais coisas logo logo, fique de olho! Vi que teu blog é volumoso, vou entrar e ler com mais calma.

=)

Círculo Literário disse...

Um achado e tanto!!!!Que ótimo encontrar seu blog... gostamos de ler esse espaço de tantos sentimentos!!!Abraço!!

excelsius disse...

Gostei dos neutrinos também!
:D:D

Igor Machado disse...

Círculo Literário e Excelsius, muito obrigado. Fiquem a vontade e visitem sempre. Se tudo der certo, a tendência é o aprimoramento... =)

abraço!

Igor Machado disse...

Cosmunicando, obrigado!

Fiquei um pouco incerto de usar essa imagem ou não... um preconceito lírico que superei!

dado Oliveira disse...

Tá bom, tá bom, eu declaro que te amo!

Dado.