sexta-feira, novembro 28, 2008

A casa invisível

A casa no alto do monte
que guarda teu sonho e o meu
não reflete a rígida luz do dia;
As vigas e janelas e telhado,
aos feixes solares não se curvam;
colorem-se à mundana vista
somente sob os difusos raios da poesia.

Que moradia injusta
dos meus sonhos e dos teus!
Fincada assim, nessa ilha inalcançavel.
Um oceano aberto e escuro
rodeia teu abismo insuperável

5 comentários:

menta disse...

gostei dos teus desenhos e versos.

o "vale!" ta sensacional!

bjs

Igor Machado disse...

Obrigado!! Vale é de Valentina, o nome da menina que eu desenhei. Isso foi na praia e depois tanto eu quanto ela ficamos vermelhíssimos e todos marcados...

O vermelho passou mas o desenho fica!

Igor Machado disse...

bjs, Menta

Pavitra disse...


às vezes moro em versos invisíveis
ou eles me habitam...

beijos, igor!

Igor Machado disse...

não é delicioso isso??????